Um breve estudo da modelagem de dados e como ela pode impactar na performance total do banco de dados. Academicamente, acreditamos que o sucesso ou o fracasso de uma aplicação inicia-se na modelagem da base de dados. Será que o banco de dados escolhido é o ideal para a aplicação pretendida? O formato normalizado seria melhor que o denormalizado? Guardar os dados em modelo bidimensional (colunas x linhas), documentos, familia de colunas, grafos? Tenho certeza de tudo que quero "perguntar" ao meu banco de dados? Mapeei as melhores formas de procurar por estas respostas? O fato é que cuidar, de verdade, da modelagem é uma parte do processo do software (aplicações). Depois que o avião está voando, fazer reparo nas turbinas é complicado. Um "refactoring" da base de dados pode significar horas de reescrita de código fonte das aplicações,  o que envolveria muitos recursos: pessoas e financeiro. Portanto, não nos aprofundamos neste parte tão fundamental (temos uma serviço específico para isso). Mas, iremos nos pontos que podem contribuir negativamente na performance: excesso de normalização, "data types"(tipagem), tabelas de "staging" (auxiliares), tabelas temporárias, tabelas sumarizadas, entre outros fatores que podem ser, perfeitamente, ajustados em sintonia com a aplicação.